Este contrato passou a ser a garantia que o Estado firmou um convênio com o HCBT, oficializando e regularizando o seu compromisso junto a instituição.

Os funcionários do HCBT estão em greve pelo atraso nas folhas de pagamento. O Estado permanece com atraso nos repasses, comprometendo integralmente a situação financeira do HCBT. As internações de referência à 9ª CRS pela Ala Psiquiátrica foram suspensas . A Fazenda Municipal, com baixa de arrecadação, não permite auxiliar o HCBT além dos valores que já vem sendo repassados. As pressões do Município em cima do Estado, através de políticos, idas e ligações se intensificaram até que uma audiência foi marcada junto à Secretaria de Saúde do Estado com a expectativa de soluções.
 
No dia 24 de outubro, uma comitiva composta pelo Prefeito Municipal, Carlos Augusto Brum de Souza, pela Presidente Gestora do HCBT, Alanna Bernardi, Presidente do SINDIESCA, Márcio Barboza, e alguns funcionários do HCBT foram recepcionados pelo Francisco Zancan Paz, Diretor do Departamento da Atenção Hospitalar e Ambulatorial do Estado e pelo Secretário do Estado, Pedro Westphalen para tratar sobre a situação do Hospital de Caridade Brazilina Terra.
 
A previsão dos repasses permaneceu incerta, mas o contrato que tem por objeto a prestação de serviços no âmbito do Sistema Único de Saúde – SUS, visando à garantia da atenção integral à saúde, foi firmado e assinado nesta audiência, e passou a ser a garantia que o Estado firmou um convênio com o HCBT, oficializando e regularizando o seu compromisso junto a instituição. Este contrato vem sendo solicitado há vários meses, mas o Estado protelava a assinatura.
 
Segundo Alanna Bernardi, a folha de agosto foi quitada, e a do mês de setembro foi quitada em 53%, mas até o encerramento desta matéria a greve dos funcionários ainda não havia sido terminada

Fonte: Assessoria de Imprensa

Data de publicação: 25/10/2017

Créditos das Fotos: Reprodução: Arquivo Pessoal Alanna Bernardi

Compartilhe!