um dos motivos dessa iniciativa é a preocupação neste período transitório, pois os alunos se deparam com mudanças diferentes, tanto como troca de escola, de colegas, além de uma crença de que o Ensino Médio poderá ser muito mais difícil.

A Secretaria Municipal de Educação, através da Coordenação Pedagógica, tematizou o processo de transição dos alunos que estão concluindo o Ensino Fundamental e iniciando no Ensino Médio, trazendo assuntos que permeiam as perspectivas sobre esse processo. Segundo a Supervisora do Ensino Fundamental Anos finais, Simoni dos Santos, um dos motivos dessa iniciativa é a preocupação neste período transitório, pois os alunos se deparam com mudanças diferentes, tanto como troca de escola, de colegas, além de uma crença de que o Ensino Médio poderá ser muito mais difícil.

O encontro foi realizado no dia 1° de novembro, na Casa de Cultura, e contou com a presença dos 9ºs anos das escolas de Tupanciretã, tanto pública como particular, abrangendo todos os alunos, pois segundo a Secretária de Educação, Rosani Didoné, independente de que esfera o educandário pertence, a responsabilidade, o cuidado e o zelo sobre a educação é um compromisso da Secretaria Municipal de Educação.

O evento teve duração de aproximadamente 2 horas, e após o pronunciamento da Secretária de Educação, Rosani Didone, e o entoar da canção reflexiva “Caminheiro”, cantada por Alia Rodrigues, Presidente do Conselho Municipal de Educação, a Assistente Social, Mestra em Direitos Humanos, Luana Assis trouxe a temática “Qual o meu propósito: Por que fazemos o que fazemos”. Para saber mais sobre o Ensino Médio, nada melhor do que trazer as direções das escolas que oferecem EM, explanando sobre a rotina e o currículo. O professor de música, Jorginho Veiga, esteve animando, cantando e interagindo com os alunos presentes.

A Supervisora do Ensino Fundamental Anos Iniciais, Maribel Vendruscolo, afirmou que para o aluno ter uma transição tranquila, mantendo a motivação para os estudos, é preciso repensar o papel da escola nas duas pontas do processo. Isso, muitas vezes, envolve um trabalho conjunto entre unidades e redes de ensino distintas, já que, em geral, o jovem cursa o Fundamental em uma instituição do município e o Médio em uma estadual ou Privada. A iniciativa de alguns gestores tem mostrado que ações simples são bastante eficazes para amenizar a mudança.

Data de publicação: 04/11/2019

Compartilhe!